sábado, julho 23, 2011

FUSÃO

Se eu fosse uma nuvem,
minha alma seria a água.
Choveria, sereno, calmo,
sobre terras secas,
fazendo-as florescer,
viçosas, alegres,
fazendo-as olvidar tempos secos,
ventos secos,
casas vazias,
quintais sem brincadeiras.
Mas sou mais que nuvem,
sou mais que água.
Minha alma é criação e caos,
contrários originários do devir.
Destruo a terra crestada,
rompo fendas na rocha,
para que sangre a vida
nas cicatrizes do solo,
e o fluxo interrompido
se torne fonte de vida.
Faço de meu riso contágio.
Faço de minha esperança fé.
Transbordo meus limites,
fundindo-me contigo em amor
Tu te tornas parte de mim,
alma única,
fogo e ar,
tormenta e calmaria.
calor e energia.

Nenhum comentário: