terça-feira, abril 20, 2010

POR ENQUANTO

Enquanto houver luz,
um facho apenas,
um só,
haverá esperança.

Enquanto houver calor,
ainda que fugaz,
suave,
haverá esperança.

Enquanto houver um sorriso,
um pequeno,
discreto,
haverá ainda vida.

Enquanto os olhos brilharem,
na memória tão veloz,
breve,
viverá o amor em nossos corações.

Enquanto houver ainda luz nos olhos,
enquanto correrem os arrepios na pele,
enquanto enrubrescerem os lábios em toque,
enquanto houver magia e encanto,
enquanto houver poesia,
(e sim, até mesmo pranto!)
perseverará o amor,
por ser sempre luz,
por ser sempre vida,
por ser sempre,
único, eternamente belo,
crescente amor.

Nenhum comentário: