segunda-feira, julho 13, 2009

Catividade

Condenado estou ao mais doce dos suplícios:
estar cativo de tua imagem a todo momento,
não desviar meus olhos de ti por tempo algum,
a todo instante aguardar tua aparição,
sofrer as agonias de tua ausência,
esperar por tua luz imarcescível,
até que raie o dia sobre meus dias
e eu te encontre no fulgor de tua beleza.

Considero-me o mais feliz dos homens,
o mais dileto de todos os mortais,
por ser aquele que te encanta nas noites,
aquele de quem te lembras ao mirar os céus,
aquele que elegeste para estar em teu leito,
que escolheste para compartilhar teus dias,
para viver todos os instantes de teu tempo,
até que não exista mais dor nem lágrima,
até que só reste a paz, a tua refulgência,
a imensa felicidade de existir ao teu lado,
e sem temer tua ausência ou tua distância.

Nenhum comentário: