domingo, junho 21, 2009

Fim

Não me apontes teu dedo.
Não me culpes por teres andado ao meu lado.
Sou apenas uma pedra bruta
que é lapidada pelas artes do tempo,
e que se torna escultura e areia.
O tempo e as areias me esculpiram homem,
e o sangue de meus filhos me deu vida.
Mas tornei-me humano,
não sou mais obra inventada por divindades bípedes,
míopes,
vestidas de branco sobre vestes púrpuras.
Agora respiro,
ando,
não mais preso à rigidez da estátua e do pedestal.
Não me apontes teu dedo de acusação.
Sou apenas um homem de carne e osso,
sangue, risos e lágrimas,
cheio de vida e poesia.
Não me culpes pela estreiteza do teu caminho.
Não sou aquele que os constrói,
sejam estradas, seja vento, seja vida.
Não maldirei meus dias nunca mais.
Eles são os tijolos de meu ser,
são as pérolas de minha memória.
Não mais alimentarei a hárpia que consumia meus órgãos.
Existo agora apenas como ente,
como ser no tempo, na história.
Não me julgues.
Sou o espelho em que re miras,
a água em que te banhas,
a carne de que te alimentas.
No mesmo dia o Sol nasce e se põe.
O dia é o mesmo, mas não o Sol,
que se queima e funde em si mesmo.
Sei que não compreenderás meu caminho.
Cheguei o fim dos teus, exauri-me nele.
Estou agora além de teus olhos,
não podes ver mais os meus passos.
Fica, delicia-te em tua ilha.
Goza em teu pequeno paraíso.
Deixo tuas praias para singrar oceanos...

Um comentário:

Saulo Martins disse...

Caro Emir,
poesias estão lotadas de subjetividades e entrelinhas, as do autor e as de quem lê. Considerando caminhos semelhantes que percorremos durante a vida, me permito, com algum direito dizer que - entendo cada frase que disse.
É como um deja vu.
Realmente já vi essa cena, pessoas que estão junto de nós, fisicamente, mas mentalmente distantes. Não nos acompanham na jornada, julgam-nos com base em suas crenças.
divindades bipedes, deuses criados, moralidades absorvidas, regras impostas, submissão ao nada...
Creio que voce encontrou um caminho novo, e mais que isso, encontrou a si proprio.
Parabens pelo novo caminho... e bem vindo ao clube!