domingo, junho 21, 2009

Aurora II

Alimenta-te de minha poesia,
que ela é vida e luz para ti.
Alimenta-te de minha alma,
que encontrou em ti seu espírito
Alimenta-te de meu corpo,
que se fez carne para ser teu.
Alimenta-te de minha vida,
que renasceu ao raiar da Aurora.
Alimenta-te de mim,
espelho de tua própria Aurora,
vida refeita e renovada por teu amor,
carne, sangue, corpo, suor e desejo,
espírito, vontade, alma e poder,
luz e vida criada para pura poesia,
para aquecer e encantar seus olhos,
para fazer de ti constelação,
brilho e refulgência,
eternidade e constância.

Nenhum comentário: