sexta-feira, março 21, 2008

Diga-me

Quando cessarão as lágrimas da criança?

Quando não mais se derramará seu sangue?

Diga-me, para que eu não chore mais,

para que eu tenha alegria e esperança,

e para que eu cante a tua vitória.

Meu coração ficou negro ao ver tanta dor,

quando não há nem sombra nem água,

mas só o escaldante sol do deserto.

Não há mais esperança, não há mais cura.

Aproxima-se o dia dos dias, a noite das noites,

quando o forte conhecerá seu fim,

quando o sábio saber-se-á tolo,

e quando não haverá nada mais a ser dito.

Este é o dia por que clamo,

o dia em que não chorarei mais.

Será o dia dos dias, a noite das noites,

quando todos conhecerão sua morte ou sua salvação,

cada um segundo a pureza de seu coração.

Diga-me quando será, Deus meu,

segundo a pureza de teu amor.

Concede paz aos meus olhos cançados,

para que eu volte a sorrir,

para que o azul volte ao céu,

e para que eu veja nova a Terra,

para embelezar tua eterna justiça.

Nenhum comentário: