sexta-feira, março 21, 2008

Comentário de autor desconhecido sobre "Esperança"...

Um poema muito profundo, triste, um tributo.

Uma saudade que não passa,

uma angústia permanente,

uma perda inexplicável.

As lágrimas que já formaram um oceano,

onde a calma é exceção

e o furacão e as tormentas são constantes,

um buraco negro profundo,

que por mais que eu caia,

não tem fim...

Um sentimento de inércia,

uma paralisia no meu pensar...

A infinidade dessa dor é a unica coisa que é igual ao meu amor...

Há vinte um anos existia exultação, alegria e afeto no coração.

Agora só me resta solidão...

Mesmo estando no meio da multidão desse mundo,

me sinto só com a minha dor.

Dor interminável,

perda dos sentidos,

perda de mim,

perda que ninguém pode entender,

que ninguem pode consolar...

Dor infinita que espero um dia me consumir.

Era uma criança que não compreendia seu enorme valor,

por isso acho que hoje,

ainda jovem,

tenho milhões de horas,

meses,

anos para lamentar,

deixar que essa amargura tome conta de mim,

enfim...

Nenhum comentário: