domingo, janeiro 30, 2005

Passeio

Novos passos, velhos sonhos.

Tantos atalhos, tantas quedas.

Sopram memórias, sussurram vozes,

Vozes amadas, lágrimas perdidas no tempo.

Observo tudo do alto,

Como um pássaro inquieto.

Na agitação das águas não acham descanso meus pés.

Uma voz me diz:

"Pisa! Não afundarás, e transformarás a face da água!"

Confio.

Contudo, transformei as águas em maremoto,

E revolvi todo o solo daquela terra.

Nenhum comentário: