quinta-feira, janeiro 27, 2005

Luz

Não sou. Apenas estou.

Passado o tempo, já não estou mais,

Mas tornei-me outro.

Contingência.

Conheço apenas o que fui.

Acho que nem mesmo isso.

O que serei é incerto como o cair da chuva.

Minha existência se reduz a uma chama.

Luz pequena, tênue agora.

Não precisa mais queimar.

Apenas ilumina.

Refina.

Purifica.

Ilumina.

Nenhum comentário: