domingo, janeiro 30, 2005

A Festa da Sarjeta

Alegria, alegria!

Sonho de loucos,

Insanos arlequins,

girando, girantes,

sós, sempre sós.

Nada permanecerá intacto.

Sábado, sexta, domingo.

Pule, corra, enlouqueça:

até quando durará?

Apenas dois dias,

três, talvez, com vontade.

Não durará mais do que um sonho.

Retorno à casa cansado.

Não há nada nas ruas,

nada nos bares,

nada nas sarjetas,

exceto o vômito e as fezes.

Dejetos, apenas.

Pessoas, apenas.

Foge, foge sempre!

Sai de perto, o fim chega logo!

Nenhum comentário: