segunda-feira, dezembro 27, 2004

Tu não me conheces...

Tu não me conheces.

Não sabes de meus medos.

Nunca viste meus demônios,

Nem jamais soubeste de minhas lágrimas.

Não conheceste a dor de tua ausência,

Nem me viste sem ti ao meu lado:

Fui apenas um roto de gente,

apenas um desprezo a mais.

Tu não me conheces.

Tu acalmas o monstro que em mim reside.

Afaga-lhe a fúria, amaina-lhe a dor.

Transforma-o em homem.

Tu não sabes o bem que me faz teu amor.

Tu não sabes o que és para mim.

Teu lugar não cabe em palavras,

Não é definível por idéias.

Tu nunca entendeste o pacto que nos une.

Pacto.

Sangue e carne.

Alma.

Tu não me conheces,

Nem pode chegar a conhecer.

Pois ainda que chegasses a vislumbrar-me,

Bem como meu amor por ti,

Nunca verias o quanto dele transborda os limites de meu ser.

Nenhum comentário: